Amigos em poesia

Seguidores

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Amor ou Paixão?



Paixão
Enlouquecida, desvairada, alucinante,
Devassa, insana, extravagante,
Provocante, exagerada, cheia de rompantes,
Furacões, fúria de emoções, raios e trovões
Desassossego, destempero, arrebenta o coração...

Amor
Tranquilo, sereno, confiante,
Paciente, aconchegante, envolvente,
Enternecido, romântico, suave,
Chuva fina, brisa calma, pôr do sol,
Encaixe perfeito, calor no peito, acalma o coração.

Amor ou Paixão?
Eu quero os dois,
Paixão antes, amor depois

Rita Encinas

Hoje... Assim



Juventude tem pressa,
força, beleza, energia
garra,gana e alegria
isso tudo já tive um dia...
mas hoje a maturidade me dá
o que na juventude eu não tinha
não tenho pressa pra nada
aprendi que tudo acontece
na hora certa
minha força está na minha suavidade
na intensidade dos meu desejos,
na calma do meu olhar,
a beleza muda, se transforma
em atitudes te fazendo bela
e radiante te faz brilhar
minha energia hoje é contagiante
calmaria em dias de tempestade
tenho gana e garra de verdade
e minha alegria virou poesia...

Dina Isserlin

Como Você Quiser



Posso ser como você quiser
Dependendo do momento em que me vê
Posso ser a surpresa que você precisa
Para começar o dia com alegria
Acreditando até em magia,
Posso ser o espanto que te causa encanto
Por chegar quando você não espera
Te revirando no avesso,
Posso te causar ira e deixar sua voz rouca
Quando fico louca e rasgo-me em poesia
Porque sei que te alcanço
Por saber onde fica seu começo
E que seus limites não tem fim
E você, como sempre olha pra mim
Um dia posso ser o alvo do seu desejo
E no outro você, do meu do beijo
Não importando a forma que eu arremesse,
Você sempre o aceita
E devolve-me em versos

Rita Encinas

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Se



Se é pra sorrir
sorrio com vontade
se é pra cantar
mesmo desafinando
canto de verdade
se é pra chorar
choro bastante
me transformo
em mar ...num instante
se é pra escrever
o faço com prazer
desnudo a alma
me faço aparecer
se é pra chegar
chego derrepente
mas chego certa e forte
não vai me tirar da mente
se é pra partir
vou sem avisar
sei a hora de ir
se é pra amar
amo pra valer
me dou por inteira
sou seriedade na brincadeira
sou doce poesia
sou do amor a magia...

Dina Isserlin

Minha Paixão

A poesia é minha paixão...
Quando não estou apaixonada,
Sinto saudades de mim!

Rita Encinas

terça-feira, 28 de julho de 2009

Teu Poema



Para ser teu poema

Visto-me com
Minha melhor poesia
Enfeito meus cabelos
Com pétalas em verso
Mergulho em um mar de trovas
À procura da mais perfeita rima
Para encaixar nas entrelinhas
De tua mais linda prosa.

Rita Encinas

domingo, 26 de julho de 2009

Fada ou Fera?



Não importa o caminho
Seja ele de espinhos
Desgarrados da rosa
Ou dos lençóis de seda e linho,
Sempre me encontras
Com teu persistente carinho!
Ah, e como deliras
Em ver-me sempre à tua espera...
Estás sempre curioso em descobrir
Qual será a próxima quimera.
O que pode se esperar
De uma mulher
Que um dia é fada
O outro é fera?
Ah, quem dera
Que no mesmo sonho pudéssemos
Ouvir um "blues" de estrelas
E dançar um "rock" de trovões
Lábios de fogo e olhos de mel...
Sacar um "free" ou um "camel"?
Tanto faz... depois dessa viagem
As nuvens de fumaça
Se misturam às cortinas de um céu
Onde só flutuam estrelas!

Rita Encinas

sábado, 25 de julho de 2009

Devaneios


Por te querer por perto
Te rapto com meus olhos imantados
Minha boca te chama como
Areia movediça
Que te puxa para dentro
De meus sonhos carentes
Onde tudo é permitido
Paixão incandescente
Mãos insanas e atrevidas
Densenroscam fios de cabelos
Que formam tramas em meu rosto
Descortinam meus anseios
Destravam os freios
Preenchem entrelinhas
De sua pele na minha
Moldam esculturas
Obras de arte nuas
Exposta às claras
Que apenas nós dois
Conseguimos apreciar


Rita Encinas

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Marés de Pensamentos



Um punhado de estrelas

Que fogem do céu da boca

Juntam-se a lua dourada

Formando um pisca pisca
De olhos perdidos

Surpresos, atrevidos
Caídos na renda negra

Com fios prateados

Semelhantes a delicadas

Nuvens de fumaça

Pingos na vidraça
Guardanapo de papel

Que guarda segredos

Torna-se companheiro

De marés de pensamentos

Que sopram ao relento

Que tiram o sono

Que busca o sonho

De voltar no tempo


Rita Encinas

Chuva



Que venha a chuva,
Com seus pingos gelados,
Molhar meu rosto,
Escorrer pelo meu corpo
Colando nele o meu vestido.

Que ela me faça sentir um arrepio
Quando tocar meu pescoço
Com seu beijo molhado,
E me faça tremer ao sentir
O suave sopro do vento
Como uma carícia
Em meus ouvidos.

Então dançarei descalça,
Na grama molhada,
Seguindo o descompasso do meu coração que,
Aturdido,
Tenta absorver essa inesperada explosão de sensualidade.

O vento é frio
Mas é quente o sangue que corre em minhas veias.

Entrego-me a esse deleite
Abro os braços e me sinto plena.

E como a chuva que vai parando devagar
E dando lugar a um sol radiante,
Deixo-me saborear os últimos instantes de prazer
E finalmente me aquieto,
esperando que o calor que me invade
Seque minhas roupas
e acalme meu coração palpitante.

Regina Ragazzi

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Temporais




Fúria dos ventos
Verbos que discordam
Tormentas que se entendem
Nem toda a lágrima tem um porquê
Vulcões adormecidos, contidos
Palavras que gritam em silêncio
Tempestades permitidas
Somente em pensamento
Encantamento em maré alta
Relâmpagos de insônia
Clarões acordam pesadelos
Trovões ensurdecem desejos
Em ruas alagadas pela chuva
Que não cessa, inundando
A alma, que nem sempre calma
Almeja por dias claros
Raros, distantes...
Furacões não conseguem levar
A revolta de uma paixão,
Proibida pela inconstância dos ventos


Rita Encinas

Ler em Braille



Quisera eu ler em braille,
E com um simples toque
Poder decifrar cada enigma,
Cada letra, cada verbo
Que transpira em teu rosto
Sentir cada arrepio
Cada tremor, o suor
Que teu corpo expressa
O motivo da pressa
Que teus sentidos arremessa
Perceber teu êxtase
Ao sentir meu calor
O sabor de meus lábios
Que roubam os versos teus
E que se dispersam
Misturando-se aos meus.
Quisera eu ler em braille...
Meus toques são mais suaves
Que os olhos meus!


Rita Encinas

Palavras...



Sinto que ainda não escrevi
O que realmente gostaria
É que palavras me fogem
Hoje isso eu senti
Não tem nada que descreva
O que vai no meu coração
É tanto sentimento
Que pra eles não criaram não
Nada que defina
E por mais que tento
Não existe explicação
Nem vocábulo que diga
O que sinto de verdade
Vou ter que inventar então
Algo que defina...
Que chegue perto da realidade
Que chegue perto enfim
Do que sinto dentro de mim


Dina Isserlin

quarta-feira, 22 de julho de 2009

História sem Fim



Por ele, o qual ela há muito não via
Já não sentia mais saudades
Seu peito, já não mais doia
Nele brotava apenas alegria.
Dele agora ela só queria
As mais doces lembranças
Vividas por ambos um dia
Calores que tranformaram noites frias
Em cálidas e ternas rimas
Sonhos de amor em poesia.
Ele estará sempre em sua memória
Por fazer parte de sua história
E sente-se feliz assim,
Pois ela sabe que essa
É a única maneira
Dessa história não ter fim!

Rita Encinas

terça-feira, 21 de julho de 2009

Quero teu Silêncio


Quero entrar em teu silêncio
Misturar-me em teus pensamentos
Fazer parte de tua história
Traçar cada linha de teu rosto
Desalinhar tua memória
Fazer-te esquecer o caminho
Sair dos trilhos, cair do ninho
Desafiar o destino, ser tua sina
A roupa que combine
Com teu estado de espírito
Vestir-te de alegria em dias de chuva
Secar teu pranto de todo desencanto
Colorir tuas noites à luz de velas
Ser a bebida que te embriaga
Te fazer dançar ao som de minha melodia
Ser o teu riso, que eu tanto preciso
Quando dizes que me ama!


Rita Encinas

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Sonhos Roubados



Um simples descuido,
Um tropeço em seus sentimentos
Foi o suficiente
Para deixá-la sem saída.
Fora surpreendida
Por um colecionador de sonhos,
Que há muito andava à espreita
Esperando o exato momento
De seu ataque fatal...
Como sempre, acertou em cheio
Alcançou o mais íntimo
De seus segredos
Aqueles, que ela escondera
Até de si própria
Por medo de cair em tentação.
Não demorou muito,
Seu olhar a sugou
Para dentro de si.
Agora ele tem certeza
Que ela o pertence
Com todos seus sonhos
Que infinitamente
Também serão seus


Rita Encinas

domingo, 19 de julho de 2009

Não Acordes, Meu sonho



Sonhos me sustentam
Durmo com eles
Acordo nos teus
Neles sempre vejo
Tua aura limpa e clara
Tua essência, pura fragrância
Que meus sentidos aquecem
Quero-te assim, fora de si
Envolto em fantasias sem fim
Com toda tua insanidade
Despertando flores em mim
Tua lucidez incomoda, acorda-me
De um sono profundo
Onde levito por entre nuvens,
Almofadas macias de seda
Tapete árabe de algodão
Fios egípcios tecem minha veste
Que possui todas as cores do íris
E os doces versos que declamas
Que quando ouço, suspiro!
Não quero que acordes jamais...
Amo viver em teus sonhos!

Rita Encinas

Um Jardim em Mim



Das rosas quero a beleza
O perfume da lavanda

Do lírio a leveza

Da tulipa as cores

Da violeta os amores

Da margarida

O tom pra vida

Do brinco de princesa

Minha certeza

Da camélia a ternura

Das flores do campo

O remédio pra cura

Quero mesmo...

Um lindo jardim

Florescendo em mim


Dina Isserlin

sábado, 18 de julho de 2009

Lispector e Eu Parte I


Éramos como emanações uma da outra
e aprendi os versos que me foram ditados.
O mistério de um não encontro !
Poderia, eu, criar como se fosse ela,
bebendo do seu próprio veneno ?
Já estava cansada e suja, mas Clarice pairava ...
generosa e pura
- Só quero que se desvie um pouco, disse ela ...
quantos poemas pretende escrever ?
Então ficou claro para mim :
uma outra mulher ocuparia o meu lugar .
Naquele dia, sequer apareceu nem ao menos deixou rascunhos
pra que eu pudesse tentar.
Será que seu reaparecimento poderia acontecer ?
Ainda posso ouvi-la sussurrando por alguém ...
alguém, que misteriosamente decidiu voar !


Cibele Camargo

Lispector e Eu - Parte II



Apaguei a luz ...

e um cansaço nos ouvidos
parecido com um suspiro, surgiu.
Era ela. Voltou como se nunca tivesse partido
parou subitamente, sorriu debochadamente e disse :

- Mais um encontro contigo ? isso é insuportável

Calei-me porque é nela que me inspiro - Ela é o caminho
e ficou claro que mulher alguma ocupou meu lugar ...
Seria uma provação e tanto !
sem se impressionar com meu silêncio,
murmurava versos impronunciáveis - sedutora e espelhada.
Confesso que gostaria de escrever da mesma forma
mas não consigo me livrar da minha dúbia reputação
e de toda essa velharia.
E a sedutora Clarice rebatia ...
- para que a consciência existe ? hei de te recompensar
pela sua malícia.
quando terminares avisa !
eu me sentia fria, exausta ... é assustador por onde ela caminha,
mas é assim que acontecem as frases não ditas.
Ela vai me inventar !

Cibele Camargo

Desencontros



Frases de efeito
Com defeito
Disformes
Distorcidas pelo momento
De fúria
Decepção, lamentos
Desencontros
Provocados
Pela mudanças dos ventos
Relâmpagos de ira
Delírios
Trovejar de palavras
Sem nexo
Complexos
Água da chuva
Escoa pelas ruas
Encontrando lágrimas
Contidas, difusas
Pés descalços
Mãos febris
Acariciando um retrato
Matriz
Os olhos claros
Escurecem derrepente
E recomeça
O temporal de dúvidas...

Rita Encinas

O Sonho de um Poeta


Ele a via como se fosse
A mais perfeita de todas,
A mulher com quem sempre
Sonhou em dividir seu leito.
Seus sentidos estavam
Muito mais apurados
O que mais queria, era realizar
Todos os desejos
Da tão esperada amante.
Só de pensá-la
Já imaginava seu gosto
Sentia o perfume de seu corpo,
Repouso de toda sua urgência.
De sua boca brotava-lhe
Os mais belos versos
Ora de amor, ora de loucura…
Em certo momento, agarrou-se
Ao seu fiel travesseiro
E continuou a sonhar
Com o momento que seria
O mais completo de sua vida!

Rita Encinas

Mulher Poesia



Uma história

Linda e verdadeira
Vai ficar na memória.
A história de uma mulher
Que por onde passava
Deixava flores e muitos amores
Uma mulher encantada, misteriosa
Mulher quente, fogosa
Sua veste era poesia
De um vermelho que brilhava,
Seus olhos tinham magia
Com eles enfeitiçava
Quem por ela passava
Por muitos foi desejada
Por muitos foi amada.
Mas será que essa mulher
Encontrou o que queria
Ou simplesmente
Se transformou em poesia?

Dina Isserlin

Recomeço



Essa dor que dói em seu peito
Fruto de um amor perdido
Ser amado escolhido
Que por obra do destino
Partiu sem levar você

Vai deixar muitas saudades
E doces recordações.

Mas a vida continua
No começo nua e crua
Sem lhe dar satisfações.

Com o tempo isso passa
E a vida antes sem-graca
Vai lhe dar muitas razões
Pra seguir o seu caminho
E não mais ficar sozinho
Encontrando outras paixões!

Regina Ragazzi

quinta-feira, 16 de julho de 2009

A Menina

Imagem gentilmente roubada de
Claudia Regina

Com o encanto das flores
Que seus cabelos enfeita
A menina exala
O sublime perfume
De uma vida que inicia
Bela, pura e ingênua
Como o colorido
Das asas de uma borboleta.
Suspira sonhos com ternura
De uma realidade
Nunca antes vivida
Por ter em seu coração
Apenas sentimentos
De luz, que se faz clarão
Com sua alma limpa e clara…
É nesse momento
Que ela sente-se plena
Para receber um amor
Puro, que guardará
Para uma vida inteira!

Rita Encinas

Tanto...



Tanto pra dizer
Nem sei como começar
Tanto pra se ver
Nem sei pra onde olhar
Tanto pra se querer
Que nem sei o que fazer
Tanto pra sentir
Que chega a transbordar
Tanto pra sorrir
Que medo chega a dar
Tanto lugar pra ir
Que não quero esperar
Tanto pra se sonhar
Que nem quero acordar
Tanto pra realizar
Que nem consigo escolher
Tanto pra te amar
Isso não consigo...esconder!

Dina Isserlin

A Viagem



Nada é óbvio
Toda lógica é imprópria

Na sombra de dúvidas

Ficam esperanças perdidas

À espera do momento certo
Para decifrar-se um enigma

Palavras de amor não dizem nada

Perto de tanto sentimento

Distâncias tornam a imaginação fértil

Tudo pode ser, o que se leva a crer

Toda fantasia vira poesia

Todo poema encontra sua rima

Todo mistério deixa de existir

Eclipses acontecem todos os dias

A palavra cala, só a mente suspira
...
E a viagem recomeça:

O que ele está pensando

Nesse exato momento?

Alegro-me em acreditar

Que é em nosso último sonho!

Rita Encinas

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Natureza



Vejo a natureza exuberante
Sinto a magia no ar

Tudo tem cor vibrante

Basta saber olhar

Sinto o Sol brilhando

Todos os dias vem me beijar

O mar me acariciando

Meus pés vem molhar

Meu perfume vem das flores

Estão em todo lugar

Vão deixando odores

É a marca dos amores

O vento faz um leve carinho

O perfume vai levar

Tranformando meu caminho

Em Sol, estrela e raio de luar!


Dina Isserlin

Sutil Mistério



Mistério sutil
que se vê
em lindas imagens
películas que transplantam
a sua pele
com toda a arte
que ela merece
Mistério sutil
que me enobrece
que eu sinto
cada vez que você aparece
em minhas lembranças
em minhas andanças pela metrópole
em meu caderno de poemas
como os mais burilados versos
Mistério sutil
refil de sonhos
para as minhas noites de abandono
Sutil
sutil mistério
que não ouso desvendar
nele habita
toda a razão de eu
eternamente lhe amar
Sutil mistério
jamais senti a emoção de um amor assim
um amor que não tem fim
apenas começo
arremessos de versos
em você meu universo!

Carlos Gutierrez

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Tuas Mãos


Gosto quando tocas em meus cabelos,
Quando acaricias meu rosto com leveza,
Quando seguras com firmeza minha mão,
Nas horas de minhas angústias.

Gosto do toque de tuas mãos em meu corpo
Nas nossas noites de amor,
Das mãos que estendes
Quando me chamas pra junto de ti.

Gosto quando secas minhas lágrimas
E me acalmas.
Falas comigo através de tuas mãos.
Não precisas de palavras.
Ao segura-las,
Não tenho medo de nada.

Amo as tuas mãos.

Regina Ragazzi

Azul

Mistura-se em mim

sobre todos os tons,

azul com azul.

Acidentalmente e em toda direção,

caminha pleno e compassadamente

para mais completa transformação.


Cibele Camargo

Como Uma Onda



Sempre me encantei pelo mar
Um mundo de mistérios
Que sempre quis navegar
Não tem nada mais etéreo
Mais profundo que o mar
Ele me fascina, prende, hipnotiza
Ele mergulho, afundo e me descubro
Me acalma, alivia, me faz viajar
Tem dias que sou como ele
Águas claras, límpidas, transparentes
Sou o mar de calmaria...
Em outros momentos
Sou turva, revolta, assustadora
Sou mar de tormenta
Em dias de vento

Dina Isserlin

Olhar Perdido




Um olhar nunca está perdido,
Pode estar disperso à levitar
Esperando o momento certo
De lançá-lo de uma maneira clara
No fruto de seu pensamento
E fazer com que ele compreenda
Desde o primeiro instante
A grandeza de seus sentimentos

Rita Encinas

sábado, 4 de julho de 2009

O Espelho




Ao olhar-se em um espelho
Ele vê o contrário de si.

Por um momento sente-se feliz,
Era tudo o que ele queria ser.

Só o espelho o compreende

E reflete-lhe todos seus desejos.
Com ele, passa horas a conversar

Confessando-lhe todos seus segredos.

Um dia, a imagem tornou-se turva

E, ele frente a frente com sua essência

Tomado pela indignação frustante

De deparar-se com seu próprio “eu”

Estilhaça seu único confidente!


Rita Encinas