Amigos em poesia

Seguidores

sábado, 26 de setembro de 2009

Jogo de cores



Na paleta dos meus devaneios
Sonho uma paisagem lilás
e tento conquistar o exato vermelho
um vermelho audaz
que seja espelho
de uma avassaladora paixão
o exato vermelho
vivo fogo sangue desejo
dos teus lábios da cor de cereja
do encanto de rubis
do frescor de romãs
Tento também no negro
encontrar o exato brilho
dos teus sedosos cabelos
um fio de luz no novelo das sombras
e no marron avelã
dos teus olhos plenos de mistérios
a aurora da manhã grená
e o fascínio da madrugada madrepérola
Tento colher o mais puro amarelo
ouro valioso e singelo
do girassol mais belo
e do canário mais livre
que possam existir
florir, voar e cantar
puras pétalas douradas
um sol em flor
prá te ofertar e afastar
todo o cinza que resiste entre nós
cinza-chumbo de silêncio atroz
cinza melancolia que nos deixa tão sós
e fazer florescer entre muitos verdes
musgos esmeraldas
mares malvas
uma relação tranquila e azul
turqueza sob o céu anil ou cobalto
com o brilho de prata
que resgata o branco sereno do amor
o branco da espuma do mar
da casa aconchegante revestida de branco da cal
do teu traje de princeza
misturado ao violeta
que inspira o nosso amor
Certo que a paixão mistura todas as cores
embaça todas as paisagens
forja miragens
improváveis arcos-íris
soluções mirabolantes
mas a tua imagem será para mim
sempre rosa
Rosa perpetuamente
perfumada.

Carlos Gutierrez

Sonho



Sonhei,
desejei,
mas não realizei.
Não importa,
nem todo sonho é pra ser realizado.
Se fosse, não teria o mesmo sabor.
O que sei é que:
meu coração acelerou
meu corpo suou
minha alma viajou...
experimentei todas as sensações,
senti todas as emoções,
Amei.

Amei sim!
De um jeito diferente,
do jeito que pude amar.
E foi tão intenso... tão verdadeiro...
E foi tão de repente...
tão sem eu esperar...
Talvez por isso, tão breve,
tão fácil de escapar...

Mas valeu a pena amar.
Valeu viver esse lindo,
confuso, louco, e breve sonho de amor.

Regina Ragazzi

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Baila bela com a lua






Outrora tarde chegou,
Na vitrola velho vinil tocou,
Bela moça com a canção bailou!


Lá fora noite branda despontou,
Na praça grilo verde cantou,
Pra lua que também bailou!


Baila bela, a moça com a lua,
Que acompanha formosa e desnuda,
Passa-se a hora, a lua continua
Sua dança mostrando a face nua!


Chegada a hora, a lua para a dança
Pra dar lugar à manhã que chega mansa,
A moça que outrora conduzia a dança,
Já canta para o sol que se balança!


Nesta hora cigarra acordou,
Quer cantar para o sol que não bailou,
Bela moça, com a ideia se animou,
Diz ela: Logo chega beija-flor,
Que adora cantar para todo tipo de flor!


Pergentino Júnior 

Árvore da paixão



És árvore frondosa
onde colho os frutos
de uma paixão intensa

Onde provo
todos os sabores
me delicio...
me farto...me perco...

És árvore cuja sombra
acolhedora
me envolve...
me aconchega.

Encosto minha cabeça
em teu tronco
e ouvindo o sussurrar
do vento
esqueço do mundo...
adormeço...

Regina Azenha

Pra você...



Pra você
Escrevo com paixão
Pra alcançar seu infinito
 
Pra você
Olho sem reservas
Pra alcançar a sua alma
 
Pra você
Me entrego em amor
Pra satisfazer sua ânsia
 
Pra você
Sou mulher, bicho,
Conforto e aventura.
 
Pra você
Transformo minha vida,
Retorno por caminhos,
Transpareço o que não sou,
Falo outra língua,
Troco dias pelas noites...
 
Por você
Me perdi de mim
Pra te achar
E me encontrar em ti
 
Sou reflexo,
Imagem replicada,
Vontade transformada,
Sonho adormecido,
Vício insaciado...

Laura Figueiredo

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Perfume de Mulher - Acróstico



Poder descrever o aroma.
Exalar uma sutil esperança.
Revelar a infinita ternura.
Fragrância misteriosa dela.
Uma delicada...Fina criatura.
Momento único: te faz bela.
Essencial cheiro: tua lembrança

Discreta e indizível sensação
Estilo gracioso, suave emoção!

Musicalidade teu cheiro traduz
Universo feminino marcante!
Luminosa presença tudo reluz.
Herança adorável...Perfumada.
Elegância floral, erva sufocante!
Romântica mulher...Colônia amada.

Angela Rodrigues Machado

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Pessoas raras


 
 
Pessoas entram,
Se hospedam,
Saem de sua vida.
Portas sempre abertas
Alertas a todos os sons
Horas marcadas
Ou adiadas
Mas, inevitáveis
Nem todos que chegam
São bem vindos
E os que se hospedam
Toleráveis ou insuportáveis
E os que se vão
Fazem falta
Às vezes, já vão tarde.
Mas há os que chegam,
Se hospedam
E não se vão,
São aqueles que
Possuem um lenço
Sempre a mão,
Um ombro como consolo
E um sorriso
Que te levanta do chão
Com um abraço forte
Mesmo que distante
Desfaz a solidão
E lágrimas brotam
De contentamento
E faz aquecer o coração.
Palavras são desnecessárias
Por serem mútuos os sentimentos
Tudo se sabe um do outro
Perfeita sintonia!
E quem diria
Que nos dias de hoje
Pessoas assim haveriam?
São eles que fazem
"Amanhecermos" a cada dia!
Amigos... Irmãos por opção.

Rita Encinas

Meu sol azul




Raramente penso em ti
Chegou a hora do que sempre desejei
ainda tenho tempo - mas é urgente
Bebo à liberdade, ao sonho que sonhei
as taças se quebram com o brinde?
- E dai ?
fui eu quem quis assim e essa será minha fábula
- contada por mim.
Tudo que antes era absoluto delírio
estará comigo pra sempre
odiado, amado
e irremediavelmente feliz

Cibele Camargo

Primavera é poesia



Mes de setembro...
Primavera chegando
flores se abrindo
corações sorrindo
amores surgindo...

Das estações
és a mais bela...
na nuance das tuas cores
jardins se transformam
em linda aquarela...

Primavera ...
ao mesclar o perfume
das tuas flores
envolves os corações
com alegria
és encanto e fantasia
és inspiração do poeta
és pura poesia...

Regina Azenha

Amor todo novo




Com todo amor novo que chega,
a batida do coração se renova!

Há quem diga que isto tudo é mentira!
Há quem fale que isto tudo é verdade!

Nesta vida de vindas e idas,
tem amor que é todo saudade!

Há quem diga que isto é por toda vida!
Há quem fale que isto é só de passagem!

Se é mentira, se é verdade, se é saudade, ou
só de passagem, não importa, o que importa é,
amar a vida, as vindas, as idas, as Marias,
as Josefinas e também sentir saudades!

Há quem vá dizer que isto é tudo bobagem!
Aí eu vou falar: isto que é, se amar de verdade!

Pergentino Júnior

Por um instante




Nas asas de um beija flor
hoje me deixei levar
voei com o vento
bebi todas as cores
me banhei no amanhecer
brinquei com as flores
deixei acontecer...
me senti radiante
me senti iluminada
aquecida de amor
refeita de alegria
me senti beijada
me fez em um instante
de tudo esquecer
e só me fez lembrar
de que sou importante
e que nessa vida
temos que gostar
de quem gosta da gente...

Dina Isserlin

Primavera




Na primavera,
Todas as flores enfeitarão o meu jardim,
todos os pássaros cantarão na minha janela,
todas as noites serão de céu estrelado.

Na primavera,
crianças brincarão alegremente nos parques,
casais de namorados passearão de mãos dadas
pelas ruas,
todas as chuvas serão recebidas como bênçãos.

Na primavera,
se verá o arco-íris mais lindo,
a colorir vidas sem cor.
E todas essas vidas se renovarão,
se forem motivadas,
por gestos de amor.

Regina Ragazzi

Namoro as palavras



Jamais me sinto só
levanto e limpo o pó
da capa de um dicionário
e, procuro, aleatório, uma palavra
com a sua correta grafia
e o seu real significado.
Eu namoro as palavras
até convertê-las em versos
e, quanto mais as venero,
capricho na caligrafia
e, estica-se, então, o rabicho
de cada uma delas na memória.
Eu namoro as palavras
até convertê-las em versos,
mesmo que algumas delas
não combinam com a estética poética,
mesmo que elas evoquem
sensações abjetas.
Às vezes, dou folga ao dicionário,
e as procuros em letreiros
ou muros pichados da metrópole!
Em jornais, em panfletos efêmeros
espalhados sobre a cidade,
sobre o chão!
Cada palavra tem a sua pretensão:
cada palavra é uma gráfica migalha
que um poeta sorve com gratidão!
Eu namoro as palavras
e também, às vezes,
eu procuro em você!
Já encontrei o fascínio,
o delírio, a vontade indômita,
a tola posse, a obssessão,
o sarcasmo
todo o orgasmo verbal!
Delas surgiram outras:
bem amadas,
traídas,
mau-amadas
rejeitadas:
encontro, dor, prisão...
partilhas, segredos,
ilusões...
sonhos...insônias e pesadelos
Eu namoro as palavras!

Carlos Gutierrez

domingo, 20 de setembro de 2009

Hoje...



 

Hoje o pôr-do-sol foi lindo!

O céu, laranja, cegou meus olhos,
Mas avivou o meu entendimento.

Hoje a lua não cabia no céu,
Seu esplendor tomou a noite,
Roubou a cena... e o meu sorriso!

Hoje as estrelas brilham mais
Se mostram a olhos nus
E me despem de razão.

Hoje as flores do ipê estão mais vivas
Destacam o amarelo que as tinge
E estendem tapete a meus pés.

Hoje me apego ao real, ao natural
Para estancar a razão
E avivar o que realmente importa.

Laura Figueiredo

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Tua ausência


 
Tua ausência é dor que não passa
São lágrimas que não desabafam
É sorriso amarelo em dia azul
Olhar perdido em linda imagem
De um por de sol que vai ao longe.
Todos os espaços lembram você,
Sua voz, seu sorriso, seu olhar
Que espero dia e noite pra me completar
Preencher o vazio que paira no ar.
Saudade que aperta o peito,
Que sufoca, entristece, magoa,
Não é um sentimento à toa
Enobrece, engrandece, dá vida,
Porque essa saudade imensa
Só se sente de quem se ama!

Rita Encinas

Andarilho



Uma rua deserta
a calçada molhada ... chove
Meu corpo ardente no frio da noite
tal qual revoada diuturnamente
nos olhos da gente ... morre
No silêncio da praça
uma folha se move tal qual enxurrada
na vida que passa
lavando a semente dos olhos da gente ...
Foge !

Cibele Camargo - do Livro "Verdades e 1/2"

Minha estrela



Todos os dias, ainda madrugada
acordo,abro a janela e ela está
no mesmo lugar...
brilhante, envolvente,
minha estrela confidente
sempre a me esperar

Na imensidão do céu,sozinha,
de outras estrelas, distante,
é minha companheira constante
anunciando que em breve
um novo sol surgirá

Dei a essa estrela o seu nome,
pois nos meus delírios de poeta
nela, encontro a sua imagem
e, mesmo sabendo ser miragem
preciso acreditar nessa ilusão...

Ilusão que alimenta minh'alma
que aquieta meu coração...me acalma...
pois só assim posso ter você
sempre junto a mim.

Regina Azenha

Canto para tua beleza




Tua face é de tal encanto e,
Tua graça sempre dá o ar aos
Olhos que te querem tanto!


Tanto excitei, mas pra ti vim cantar:


"É para a face q'eu escrevo,
Que me canta a poesia...
São os olhos desta face,
Que meu verso acaricia!


Se eu pousar em teus lábios,
Cantarei versos doces...
Não me custa nada sonhar
Que sou um pássaro noturno...
E tu, flor dama da noite!"


Pergentino Júnior 

Não te aflijas



Não te aflijas com teus medos.
A noite já vai embora,
o dia vai clarear.
Vou segurar tua mão
como tantas vezes fizeste comigo
em minhas noites de pesadelos,
quando eu acordava chamando por ti.

Não se desespere, estou aqui,
deitada ao teu lado,
zelando por teu sono
como tantas vezes zelaste pelo meu,
nas madrugadas infinitamente longas.

Terás lindos sonhos
e neles estaremos juntos,
sem medos, sem angústias.
Quero teu sorriso lindo de novo
a alegrar meus dias
a embalar nossos sonhos
a realizar nossos desejos.

Porque estou aqui,
e sempre estarei ao teu lado.

Regina Ragazzi

Quando vem a noite



A noite vem vindo
avança devagar
parece estar sentindo
voce de mim lembrar
coração dá um salto
a nuca arrepia
mas vazio está o palco
foi só a sensação
durou só um momento
esse carinho no coração
desapareceu como vento
num passo de magia
levando a fantasia
o sono me roubando
me deixando a madrugada
como única companhia...

Dina Isserlin 

Djavan - 60 anos



Viver de amor é a sua sina
em cada palavra
em cada som
que ele tira
trata e burila
no escuro dos becos
ou na claridade da amplitude das esquinas.
É a sua sina
é o seu afã
da madrugada ao amanhã
a procura samurai incessante
do amor que salva e alucina
que mostra todas forças e fraquezas
todas as humanas sutilezas
em cada letra concluída
derretida nas mais ardentes e lilazes
fogueiras de versos
em cada música pronta
que confronta todos os barulhos 
e ecos do Universo
e engravida poesia com mais rimas
que o ventre da inspiração
pode comportar
Ele saber extrair
de cada som um burburinho
um segredo
e de cada palavra
o diamante do desejo!
O amor não tem idade
não tem límites
basta o ensejo
a mínima fresta
o interstício
microscópico orifício
para se manifestar
um raro olhar
de um puro voyeur.
Viver de amor é a sua sina
e seu alíbi
em cada canção
repleta de pétalas
ele sempre guarda uma nota,
uma esquecida palavra
uma semente prá vingar em outra música
que logo vai brotar.
Viver de amor é puro êxtase
que faz a gente sempre brilhar!
 
Carlos Gutierrez

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

O jogo




Cara ou coroa?
Cara metade, coroa dourada
Aura dispersa coroada de dúvidas
Conto de fadas com final incerto
Caminhos estreitos, estradas escuras
O óbvio incomoda, códigos atraem
Que graça tem perder-se no clarão
Se a mágica acontece no breu?
O que é meu e o que é seu?
As cartas estão na cartola
E o coelho não está na mesa
A surpresa não é a mesma.
Deixe que eu escolha a arma,
Não se preocupe!
Não quero arma de fogo
O disparo já te acertou em chamas
Nem quero arma branca
Prefiro uma taça de vinho
E um lenço vermelho de seda.
Xeque mate!

Rita Encinas

Homenagem póstuma


Mais uma espera - um silêncio se fazia.
Para os olhos de quem não vê nada além
do que uma gratificante companhia
o proibido ... desejado
o imposto ...sacrificado.
Derramar, sem medo, um líquido filtrado ...
faz chover.

- Último talhe a ceder

Como é bom ter seu corpo
ocultar uma voz. Guardar em vida
seu último sopro.

Cibele Camargo - Do Livro "A Vida Além Da Sua"

Dualidade de sentimentos

Esta sensação que me domina
é mescla de amor e paixão
loucura e ternura,
tudo a um só tempo...

Dualidade de sentimentos
misto de emoções
luta constante se trava
dentro do meu coração.

Não sei se rendo-me a tua vontade
ao efêmero da paixão
e vivo apenas a loucura do momento

ou, se deixo florescer o amor
mesmo que seja apenas eu,
a sentí-lo intensamente.

Regina Azenha

Vontade



Tenho vontade de tocar
teu rosto com as pontas
dos dedos com a mesma
emoção de um cego ao
tocar um livro de poemas
em braile, pela primeira vez

Quero te pegar no colo
com a mesma emoção da mãe
ao pegar seu filho recém-nascido

Quero acordar ao teu lado
com a mesma emoção de
um doente acordando de
coma profundo

Quero escrever um poema
pra ti com a mesma emoção
de um analfabeto que acabara de
aprender a ler e escrever

E com a mesma emoção
de um analfabeto que aprendeu ler,
recitarei um poema pra ti, olhando
em teus olhos

Se a emoção for muita a ponto
de parar o recital no meio,
te darei um beijo para quebrar o silêncio.

Pergentino Júnior

A vida


A vida é assim,
um eterno recomeço.
Temos que nos virar do avesso
para achar dentro de nós
a força para continuar
trilhando novos caminhos,
mesmo que seja sozinho,
em busca de algum lugar seguro

Esquecer todas as mágoas,
todas as dores passadas,
aprender a se amar,
a se aceitar,
a confiar em si mesmo.
Se achar como pessoa.

Não é fácil,
mas também não é impossível.
O importante é querer muito.
É desejar sinceramente ser feliz.
Regina Ragazzi

Queria tanto

 
Queria no seu caminho
só flores colocar
queria que no seu caminho
só sorrisos encontrasse
queria te dar a brisa
te fazendo um leve carinho
queria te dar alegria
pra que voce visse
só magia no seu dia
queria mil beija flores
te fazendo voar
pra que voce percebesse
como é bom amar
queria te trazer o raio do luar
pra que voce soubesse
os pés do chão tirar
e se permitisse sonhar
queria tanto...
mas isso fica pra depois
por agora só o encanto
de imaginar meus olhos
te cobrindo como manto...
 
Dina Isserlin

Aquele cara


Quem é aquele cara
que anda ziguezagueando
pelas ruas e calçadas
cantarolando
velhas e renovadas baladas de amor
Parece estar sempre apaixonado
desligado de tudo
focado em uma imagem
perdida nos ares?
Quem é aquele cara
que passa por lojas e bares
e atreve alguns olhares
mas logo retorna à sua miragem
Com certeza é alguém que crê em seus sonhos
e empreende no mesmo momento
tantas viagens
Quem é aquele cara
que dispara tantos versos
nas múltiplas faces
de um rosto
que só ele consegue interpretar?
Que é aquele cara
que anda sempre só
que bate o pó do moleton
e deixa a jaqueta sempre relaxada
aberta como se esperasse abrigar alguém
para oferecer o abraço mais longo possível
o abraço definitivo
para selar um amor
tão irresistível?
Quem é esse cara
esse andarilho
que truque é esse
de parecer que anda dentro de um conversível
com o capô sempre aberto?
que truque é esse
de parecer que voa sobre um tapete mágico
e faz florescer um deserto?
Seria a lâmpada de Aladim....
claro que não....
apenas o clarão de um amor sem fim...
Quem é esse cara enfim
que mergulha em seu olhar?

Carlos Gutierrez 

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Somente um abraço



...E sentia-se só.

Mas não era uma solidão qualquer,
Era saudade de quem jamais voltaria.
Em sua memória lembranças
De um tempo que era só de alegria
Aqueles momentos ficarão guardados pra sempre
Em seu coração, não deixando a alma vazia
Não podia deixar de acreditar
Que o reencontraria um dia
E sem precisar nada falar
Daria lhe o último abraço,
Aquele, que ficou faltando
Que há muito estava guardando
Por estar nele o seu pedaço,
Sua dolorida companhia.

Rita Encinas

Lispector e eu - final


...
Se gosta de dias inocentes,
escreva como eles.
Olhe pra você ... está limpando o melhor cômodo
da casa, e seu quintal continua vazio.
Está esperando a primavera ou que
lhe tragam as sementes ?

- Depois terás que colher os frutos

Estou vendo que não encontrou o caminho
e se assustou com o meu
Você se parece mais com inverno sem frio
que bobagem a minha, querer fazer de você
uma próspera inquilina.
Um dia quando, acordar, vai perceber
que nada aconteceu e se não acreditar
conte comigo ... como testemunha.
No mais, te colocarei como papel de parede
em algum lugar do passado.

Cibele Camargo

A vida tem tons


A vida tem Tons

Se tem tom, tem canção
Se tem canção, tem o tom
Se tem o Tom, tem Jobim
Se tem Jobim, tem Vinicius
Se tem Vinicius, tem a prosa
Se tem a prosa, tem os versos
Se tem os versos, tem a bossa
Se tem a bossa, tem o Chico
Se tem o Chico, tem Buarque

E se tem tudo isto, tem alegria
E se tem alegria, tem a vida

Porque a vida sem alegria

É como o Chico sem a bossa
É como a bossa sem os versos
É como os versos sem a prosa
É como a prosa sem Vinicius
É como Vinicius sem Jobim
É como Jobim sem canção
É como canção sem um tom...

Porque quem dá o tom da
canção da vida, é a alegria

Pergentino Júnior

Hoje... Assim



Juventude tem pressa,
Força, beleza, energia
Garra, gana e alegria
Isso tudo já tive um dia...
Mas hoje a maturidade me dá
O que na juventude eu não tinha
Não tenho pressa pra nada
Aprendi que tudo acontece
Na hora certa
Minha força está na minha suavidade
Na intensidade dos meu desejos,
Na calma do meu olhar.
A beleza muda, se transforma
Em atitudes te fazendo bela
E radiante te faz brilhar
Minha energia hoje é contagiante
Calmaria em dias de tempestade
Tenho gana e garra de verdade
Um amor franco, apaixonado
Com fantasia e magia
E minha alegria virou poesia...

Dina Isserlin

Na corda bamba



Sou apenas alguém que sonha...
vive...sente...

e que tem nas mãos
dois mundos tão diferentes...

Um, onde habitam
as ilusões,sonhos, utopias;

outro, onde está a realidade,

misto de dores e alegrias.


Como um equilibrista
na corda bamba,
vou seguindo o meu caminho

e, nessa mescla
de emoções
surge a inspiração,
nasce a Poesia.


Regina Azenha

Dia amarelo



Um dia amarelo
intensamente belo
um dia amarelo
que fez acordar Van Gogh
grogue por tanta luz
e beleza
um girassol sobre a mesa
um chapéu de palha
para não esquentar a cabeça
um cavalete aberto
para abraçar uma virgem tela
que deseja mais que o carvão
da lareira da noite fria passada
deseja mais do que a translúcida aquarela
do dia que amarelo começa
deseja o óleo a resina e o verniz
para eternizar os seus carinhos
gestos de afetos
rápidos precisos e desesperados
arremessados por suas espátulas
e cerdas dos seus pincéis
carretéis de sonhos
que lutam contra os medonhos pesadelos
a minha orelha sangra
e derrama o vermelho na tela
para o sol ficar mais exuberante
os meus ouvidos
no mar vermelho suspiram
os seus segredos
a sua voz azul!

Carlos Gutierrez
http://poema-gutipoetry.blogspot.com/ 

E assim, se foi...




E ele se foi, com todo o silêncio
Que o agredira profundamente,
Sem a resposta que queria,
Sem a peça do quebra-cabeça
Que findaria o pranto da dúvida.
Qual seria o enigma
Da última palavra da serpente?
Ele jamais saberá!
Ela usara de toda sua astúcia
Pra que assim fosse...
E nunca mais ouviu-se falar
Daquele que insistiu
Em subestimar a intuição
De quem um dia
Ele jurou amar!

Rita Encinas

Pequeno conto




Foi amado por muitos e odiado pelos mesmos.
Cada um a seu tempo - O amor e o ódio !
Sentimentos opostos mas unânimes
Combater o ódio, seria o mesmo que destruir o amor.

Destruir a si próprio, não seria prudente !

Como certos valores não caminham juntos
sua sorte nunca era questionada e a única parada
não era de seu agrado.
O pacto não poderia ser rompido
seu comportamento não poderia ser passado a limpo,
enquanto suas testemunhas
o impedissem de pensar.


Cibele Camargo - do livro "Dublê de Pássaro"

Pirilampos



Na madrugada quente do campo,

pirilampos voavam acima das copas das árvores
com suas luzes florescentes a piscar.
Um chamado à fêmea para acasalar.

Ela, exigente, observava.
Qual deles mais vai lhe interessar?
Respondeu com uma piscada,
lá da grama onde estava,
para o macho lhe encontrar.

Eu, sentada na varanda olhando o céu,
nada percebi.
Para mim eram apenas vaga-lumes coloridos
piscando na escuridão,
dançando no ar,
no silêncio da noite.

Vieram me fazer companhia...

Fiquei assim,
por um bom tempo
envolvida por aquele espetáculo de luz e cor.

Mas ali, bem pertinho de mim, na grama,
um novo ciclo de vida começava.
E eu, sem saber de nada...

Regina Ragazzi

domingo, 6 de setembro de 2009

Mãos enlaçadas



Nossas mãos enlaçadas
confidenciam segredos
revelam desejos
quando o silêncio entre nós se faz...

Nossas mãos enlaçadas
são elos de uma mesma corrente
que jamais se romperá...

tal é a força do nosso sentimento
que se estende ao longo dos tempos
vencendo barreiras
sobrevivendo aos temporais...

Regina Azenha

Mandamentos do amor




I

Faça jus ao corpo que
Tu deitaste no leito!

II

Sejas como um pássaro,
Alimentes a dama com tua boca!

III

Não ouses querer sentir o
Gosto da fruta apenas por
Alguns segundos!

IV

Se fores fazer da dama mulher,
Com teus lábios, faça-o até
O fim, para escutares seu canto!

V

Só semeies na boca que diz
Te amo, se a dama disser:
“Derrames!”

VI

Não sejais voraz animal,
Só sereis lobo, se a dama
Assim ordenar-te!

VII

Banha-te com ela,
Lava-na para um novo
Começo!

VIII

Não caias na tentação de
Dormir primeiro,
Ofereça teu peito e
Olhos para velares o
Sono da dama!

IX

Se for por uma noite,
Nunca digas: “Te amo”
Só dirás a verdade!

X

Tu deverás tornar-te
Cego, surdo e mudo,
Para aqueles que
Perguntarem como
Colheste e mordeste tal fruto!

Pergentino Júnior

Surpresas



Gosto quando chegas sem avisar
Me enchendo de surpresas
Com um cenário aconchegante
Castiçais dourados sobre a mesa
Sustentando chamas insinuantes
Que dançam feito odaliscas
Faíscas de paixão e desejo
Incensos que exalam flutuantes
A essência de dama da noite
Escandalizando o sutil aroma de rosas
No qual estende-se o tapete em pétalas
Onde meu corpo se ajeita e te espera
Enquanto preparas um drink
Emergindo cerejas cintilantes
Que uma a uma colocas
Em minha boca com a tua...
Ah... Que delícia!

Rita Encinas

Cravo




Seja uma flor ou um instrumento

ou os sons escondidos

entre as pétalas vermelhas

ou o perfume extraído nas cordas

escondidas dentro de um tampo decorado
Seja um motivo convincente

para um coração apaixonado

Seja cravo!

somente para os dedos delicados

de mãos que sabem cometer carinhos

que não temem os espinhos

Seja cravo em instrumento ou em flor

que jamais é percutido
e sim beliscado por um beija-flor
como a saudade em um fado

como o amor é louvado
em uma sonata de Bach!


Carlos Gutierrez

Primavera



Na primavera,

Todas as flores enfeitarão o meu jardim,

todos os pássaros cantarão na minha janela,
todas as noites serão de céu estrelado.
Na primavera,
crianças brincarão alegremente nos parques,
casais de namorados passearão de mãos dadas
pelas ruas, todas as chuvas serão recebidas como bênçãos.

Na primavera,

se verá o arco-íris mais lindo,

a colorir vidas sem cor.
E todas essas vidas se renovarão,
se forem motivadas,
por gestos de amor.

Regina Ragazzi

Beijo da vida



para o céu eu olhava

pingos de chuva caiam

era tudo que eu esperava

minha alma lavariam
para o céu eu olhei

a chuva vinha forte

seu som conseguia escutar

vim para te trazer sorte

suas tristezas vou levar...

olhei para o céu novamente

vi o dia clarear
tudo brilhou num instante

senti a vida me beijar...


Dina Isserlin