Amigos em poesia

Seguidores

sábado, 31 de janeiro de 2009

Qualquer Tempo




Dia ensolarado
Céu azulado
Brisa gostosa
Tudo vira prosa
Seu lindo olhar
Seu sorriso sedutor
Sua boca convida pra beijar
Dia nublado
Céu encoberto
Mas se você está perto
É um convite para amar
Dia chuvoso
Vento raivoso
Com você do meu lado
Tudo fica gostoso!


Dina Isserlin

Perco-me no Tempo



Já não sei mais o que é noite
E nem o que é dia...
Sonho acordada
Vivo dormindo...
Onde esqueci o relógio
Que mostra o tempo presente?
Agora vejo o Sol e a Lua
Dançando ao mesmo tempo
E as estrelas brincando
De esconde-esconde...
Onde teriam elas escondido
Meu sono perdido?
Talvéz seja atras da Lua
Onde brincam meus pensamentos...

Rita Encinas

Janeiro



Janeiro
Chuvas sem tréguas
Pulos sobre poças
Guarda-chuvas abertos
Roupas molhadas
Despertar do mofo
Congestionamentos monstros
Tragédias
Avalanches
Desmanche de cabelos e terras
Esperas
Mudanças de planos
As chuvas interferem
E líquidas e contínuas ferem
Os desejos de sol

Carlos Gutierrez

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Um Poema para Dina


Ah, como é bom
Ser mulher
E não deixar de ser menina
Guardar um brilho no olhar
E dar pra alguém
Que queira encantar
Lágrimas de emoção despencar
E logo depois abrir um sorriso de criança
Quando acaba de receber uma surpresa
Jeito meigo de falar, voz doce
Que acalma o coração.
Não consegue explodir de raiva
Só de amor extremado
Porque não permite
Carregar sentimentos vãos
Às vezes lhe cai algum relâmpago
De angústia, desespero e até indignação
Mas é por perceber que há pessoas
Que são incapazes de compreender
Que ela é uma explosão
De sentimentos raros
Como uma verdadeira paixão!

Rita Encinas

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Recomeçando...



Último dia do Ano, momento em que as pessoas se atrapalham com seus sentimentos, misturam-se emoções, criam expectativas para um novo começo, ansiedade, alegria, ilusões, tudo parece imobilizado naquele momento onde todos almejam felicidade, é como se o mundo inteiro parasse e fizesse uma prece, porque todos acreditam no novo, na mudança para melhor, por pior que seja o momento passado, sempre querem apagar tudo e recomeçar, respiram fundo, e se entregam num momento mágico, querem renascer.

Sophia, uma mulher de muitos amigos, sempre pronta a dar seu melhor sorriso e o mais terno abraço para qualquer pessoa que esteja necessitando deles, ela sabe que oferecendo o melhor de si é a maneira mais simples de ser completa, porque tudo retorna à ela em duplicidade, nesse momento estava sentindo-se um pouco só, apesar de ter muitas pessoas que amava em sua companhia, na verdade não era solidão sentia que algo lhe faltava, e que estava prestes a preencher esse pequeno espaço que estava a incomodando.

Roberto, ao contrário de Sophia, acumulando frustrações de uma vida inteira, não conseguia enxergar uma saída, sentia-se desolado por achar que não podia reverter a atual situação em que vivia, encontrava-se sem forças pra lutar contra seus próprios fantasmas, que o perseguiam durante toda uma vida. Mas por conta do momento mágico que acometia todos, ele por um momento permitiu-se ser feliz, mesmo achando que seria por pouco tempo.

De repente, um encontrão, bateram-se de frente, derrubando todas as coisas que traziam em suas mãos, seus olhos se encontraram, como se estivessem procurando um pelo outro uma vida inteira. Ficaram se observando durante algum tempo sem saber direito o que fazer.
Foi quando Sophia abriu-lhe um sorriso e recitou:

...

Narciso se apaixonou pela rosa
que amava o lírio
que amava a hera
que namorava o amor-perfeito
mas morria de amores
pela primavera...

...

Ele que era completamente fascinado por poemas, sorriu e respondeu-lhe:

...

São duas as luas que existem no céu
uma se vê a olho nu
outra passa invisível e atravessa a janela
e repousa em um sonho
em espera!
São duas uma comportada em seu espaço no céu
outra ousada flutua no véu da cama
e reclama o s carinhos do Sol!

...

Perderam-se nesse instante eufórico, estavam hipnotizados um pelo encanto do outro! Foi quando ele a perguntou:


- Pra você, o Ano Novo tem gosto de quê?
Ela respondeu-lhe, como quem faz um convite:
- Este ano que se finda tem gosto
Da fruta mais doce,
suculenta e saborosa!
E o ano que se inicia tem gosto de...
Quero mais...
...

- Então eu lembro de cereja,
vermelha, difícil, brilhante,
distante ou perdida em um drinque!



- Está bem, então vamos de cerejas!
Você prepara o drinque?
...

Minutos se passaram com silêncio...

...

- Você demorou...Me atrevi a preparar nosso drinque!
Um brinde ao Ano que se inicia,
e com ele uma grande amizade
com sabor de frutas vermelhas!!!
Tim tim...

...

- Desculpa a demora! Levei um susto de encanto!
Tim Tim!
...

- Espantou-se com o encanto?
Eu me encantei com seu encanto
...

- Eu estava tão carente de tudo isso...
...

- Carente? Deixa disso, vamos dançar?



- A música é uma das minhas preferidas,
mas eu sou um péssimo dançarino.
Só as palavras dançam
nas pistas brancas
das folhas do meu caderno!

...

- Engano seu, meu caro!
Você dança muito bem...
Já esqueceu de quantas e quantas vezes
dançou comigo?
Já dançamos em torno do Sol
Sob o brilho da Lua
Ah, e quantas estrelas nos viram...
Estrelas, intrusas, sempre
a nos observar, tenho vergonha...

Mas o que importa?
Adoro dançar com você!

...

E uma música suave tocando ao fundo, embalou uma dança de improviso, que os aproximou com toques suaves e suspiros


Eu sou como a Lua
Cheia de alegria de viver
De vontade de estar mais perto
De iluminar amores
Quando trocam-se promessas...

Vou minguando aos poucos e percebo
que paixões se vão
porque não são verdades
Se fossem, seriam Amor
Mas, enquanto vivemos uma paixão
Ah, como é bom...

Então me renovo
Me tornando Nova
Passando a limpo sentimentos
Que em certos momentos
Estiveram em lugares trocados
Nem por isso deixaram de ser sinceros

Enfim Cresço
Entendo porque nenhuma paixão é em vão,
só acrescentaao coração emoções
que em algum momento
Teríamos que sentir
Pra nos tornar completos...
Assim, como a Lua Cheia!

...

Eu te imagino tudo
só não te imagino nada
Você pode ser o meu encontro
ou a mais serpente cilada
mas você nunca me será indiferente
colocou em meio a tanta gente apressada
eu vi atravessarem das sua costas
rasgando o frágil cetim da cambraia
as suas asas pacientes
acenando para que eu aceitasse
o convite de viagem
e poder, enfim, partir para a minha verdaDylan estrada!
Anjo precioso!
que esperou um cara tão preguiçoso como eu!
Anjo precioso
que bem que você apareceu no céu da minha vida!
Anjo preciosoo meu céu ganhou mais estrela
se até a Lua minguante de emoções
se tornou cheia
quando resvalou em suas asas!
...

Meu poeta, mais do que amado
a cada palavra tua um calor me consome
quero dar-te todas as minhas cores
uma a uma, e provar todos os sabores
que reservas pra mim, a começar pela tua boca
em beijo que não termina antes do amanhecer

...

De dia você é o meu sol
De noite a minha lua
e todas as horas é o meu mais ardente desejo!
Te amo e não vejo outra saída
senão me sufocar em ti querida!

Te procuro amor!
desesperadamente
pra mostrar a minha dor
ou o meu sorriso
nem sei o que vou te mostrar primeiro
quando eu te encontrar
a pressa é tanta
que eu nem sei mesmo
se a dor será ainda dor
e o riso ainda riso
será que vou conseguir discernir
o que é inferno
o que é paraíso
muitas idéias queimaram meus neurônios
muitos sentimentos se congelaram dentro do meu coração


Os ponteiros da Matriz aproximavam-se, tanto quanto seus corpos e cada vez mais se desejavam... Quando ele falou em seu ouvido:

...

Deixa de manha
quero a façanha
sem artimanha
de conhecer-te por inteira
sem que tu sintas
as minhas mãos
que delicadamente
seduzem
cada botão
e induzem cada zíper
a sair do seu trilho
para mostrar o brilho
da tua pele
ora em chamas
ora molhada
mas sempre
em estado de desejo
como um beijo bem balanceado
quente de pecado
molhado de prazer!

...

Estou sentindo esse beijo...
já não sinto mais frio
com todo esse desejo
me aqueço com o suave toque
de seus lábios a percorrer todo meu corpo
E essa paixão me enlouquece...

...

Quero começar suave...
e suave te percorrer...
e tornar a ser selvagem
quando em seu corpo
me perder!

...

E perdido em mim
encontraras uma parte de si
que estava adormecida
e que teima em acordar
mas permanece a te esperar
por quantas vidas tu quiseres...

...

Te sinto perto
pele a pele
então vele o nosso amor
zele pela espera
seja quanto ela for!
claro que estás tão longe
mas eu com a mesma paciência de um monge
te espero
porque tanto te quero
novelo de emoções...



Rita Encinas
&
Carlos Gutierrez

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Avesso dos Avessos



Mundos opostos

faces distantes

criaturas medíocres

pensam que enganam

ameaçam as auras puras

mal elas sabem

que existem olhos

capazes de enxergar

o avesso dos avessos

pecado mortal

escondido nos interstícios


Rita Encinas

Pensando na Medusa de Caravaggio


sol
frio
nas costas

odores
fim do café
sons na cozinha

rádio
tv
crianças

seco meus
cabelos
você na sala

luz fria
minhas costas
nuas

uma gota
vácuo
no seio esquerdo

enrijeço
minha nuca
salto
espanto
ao pressentir
o nada

ausência
tua e minha
anos

gotas
escorrem
minhas costas
lentas
frias
o tempo

um
gesto
inconcluso

Marcos Ferraz


Vontade de Sonhar


coisas impossíveis:
e pedras do caminho:
flores numa tarde invernal
e lágrimas: tempero da vida
e pensamentos: pássaros conhecedores da liberdade
e tempo: brinquedo nas mãos de uma criança
e morte: nada mais do que a metáfora de retorno à origem
a cada noite que durmo, jamais
sei se acordarei
mas faço de cada sonho
Impossível
uma meta para um novo amanhã

Madame Sylvie

Beijar



Beijar faz um bem danado...
Bem já diz o ditado...
Mas que beijo gostoso
Quando é bem fogoso
Quando é bem molhado...
Quando há entrega de corpo e alma...
Numa pressa cheia de calma
Sentindo o pulsar do coração ...
A caricia da língua...
Há como é tão bom!
A energia que corre por todo o ser
Fazendo pulsar o querer
Beijo cheio de tesão
Arrepia qualquer coração
Ai que beijo gostoso
Quando é bem cuidado...
Nada mais valiosoque um beijo bem dado...
Quando há doação de corpo e mente...
Sentindo o pulsar da alma...
Ele se faz tão urgente
O deslizar da língua...
No desejo que não tem calma
Há como é bom beijar...

Dina Isserlin

domingo, 25 de janeiro de 2009

Como um Retrato...Concreto, Porém Abstrato



De concreto o que eu tenho?
Um encontro
Algumas horas
E pronto!
Nada mais!
Apenas deslizantes lembranças
Que trazem seus braços distantes
Seus carinhos que eu tento juntar
Em minhas mãos
E passar em meu cansado rosto!
Ouço então Topázio
E ouço quebrar o vaso
Que é o meu coração
Incapaz de segurar a flor rebelde
De uma paixão!

***

Não poderás ter de mim
Nada de concreto
Pois tudo que te dei foi
O mais lindo abstrato...
Como em um retrato
Com imagens retorcidas
De uma paixão adormecida
Acordada por instantes
Em momentos delirantes
Onde só o que eu queria
Era que o seu beijo
Completasse
Uma pequena parte de mim
Que estava em ti


Carlos Gutierrez
&
Rita Encinas

sábado, 24 de janeiro de 2009

The Dark of Night



A noite se tece de silêncios

tramados em dobras de nuvens.

Sussurros se dissolvem

em alcovas de veludo negro.

Êxtases e agonias

testemunhados pela lua cheia.

Sangue e paixões se misturam

em taças de cristal partidas.

Beijos fatais, abraços mortais:

corpos sedentos de eternidade.

Sedução e perdições

na cintilância do olhar de punhal.


Madame Sylvie

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Um Poema para Rita II


Rita
Por que será que esta mulher não pára?
Por que será que ela é tão dinâmica?
Por que ela dispara mais que o míssel do tempo?
Como ela prepara tantas surpresas ao mesmo tempo?
Como ela consegue ser a garota peralta,
a adolescente irreverente
e a mulher amadurecida
consolidada na beleza?
Porque ela é várias!
porque, quando há silencio, ela grita:
porque, quando há tumultos, ela ordena:
porque, quando há torpor, ela agita:
porque, quando há tristeza, ela vira a mesa da alegria
e mergulha dentro do chantilly de um bolo de aniversário:
porque em toda algazarra
ela sabe repartir a exata fatia da serenidade:
porque ela é única:
porque ela não têm papas na língua:
porque ela deixa à mingua
qualquer ranço de mediocridade:
porque ela sempre dispõe de um batom
para pintar e seduzir a feia realidade:
porque ela procura, ao mesmo tempo,
a rua escura onde se escondem
os mistérios da identidade
e a alameda clara
onde se revela
a nossa existência rara:
porque ela anda sempre em zigue zague
para corrigir os caminhos covardes
e torná-los capazes
de absorver os passos de coragem,
de sorver todas as aventuras,
escapar das ciladas,
das armadilhas
das pedras pontiagudas
porque ela deixa todas as pedras polidas
e as deixa rolar
perdidas
em caminhos encantados.

Carlos Gutierrez

Uma Palavra Basta



Uma palavra basta.
A palavra tem um poder inimaginável.
Não se perdem, nem desaparecem,
flutuam no ar, prontas para agir.
Uma palavra basta pra edificar ou destruir.
Apenas uma palavra pode transformar paz em guerra,
amor em ódio e vice-versa.
Uma palavra é suficiente para amparar, aconselhar, apoiar.
Uma palavra pode estender a mão ou jogar no abismo.
Uma palavra basta para condenar, absolver ou julgar.
Pode trazer alívio ou desconforto, pode ser um bálsamo ou um veneno
.Uma palavra pode trazer carinho ou o pior dos castigos.
Apenas uma palavra muda a seriedade em sorriso,opressão em liberdade.
Apenas uma palavra transforma vidas,corações, caminhos.
A palavra traz lembranças agradáveis, pesadelos ou sonhos.
Uma palavra também educa e corrige ou desinforma.
Uma palavra basta para fazer chorar, pensar, refletir.
Apenas uma palavra é suficiente para trazer à tona ou imergir.
Uma palavra traz amigos, mas também inimigos.
Uma palavra alimenta, mas pode gerar fome.
Uma palavra pode trazer magia, fantasia ou medo e pavor.
Uma palavra basta pode ferir, machucar, mas também curar.
Portanto devemos reaprender a usá-la. Pense nisso...

Wesley Motta

Beijo Bandido



marcas de batom
no filtro branco
revelam uma busca ingênua
e vã
no gosto amargo da nicotina
a procura
silenciosa e comovente
pela emoção de um beijo teu
mas na fumaça que evola
desvanece-se a ilusão
de que teus lábios toquem os meus
olhando a brasa que cintila
vejo uma triste paródia
do brilho do teu olhar
e o máximo que me queima
é a saudade no coração
o que me falta nesse beijo
de paraíso artificial
é a química da tua saliva
que tocando minha língua
inunda minha alma
e transborda meus desejos
beijo bandido teu beijo de amor
beijo roubado molhado safado
beijo de sonho que me queima
como ponta de cigarro

Madame Sylvie

Pelas Ruas de São Paulo




Cor pálida
olhos piscador,
ofuscados pela velhice bolorenta.
nos cartazes que rejeitacom verbos floreados,
uma luta lenta.nas palavras doces
,os lábios envenenados.
massa flutuantetingiu de preto a beterraba
sibilante.
estrutura caludaindício
ditatorial.
galhofa, diminui
embarca no canal triangular
patina na desenvoltura
enrosca no final de cada dia
desembarca, entorta e chia.
bordão desafinado
blasfêmias em tons compassados
- queima mulambos a cerca de mil anos
congela a opinião, finta a discussão
empilha desarranjos.
perde o balanço para anjos
e marmanjos.
É de contra mão
entra no canal de lado
sem bordão
patina a três por quatro
sem trato e afinação.
sofre, empilha, precisa
pega o analista
percorre um love story
dá meia volta,
o primeiro porre.
com a água benta se resfria
falida se lamenta...
foi uma ducha fria!

Cibele Camargo

Um Presente pra Você



Me dou pra você de presente,
Envolta em fitas coloridas e laços
Embrulhada em seu abraço,
deliciosamente me dou pra você!
Presente não se deve recusare se aceitar...
tem que de mim bem cuidar!
Me guarda na sua vida,
No maior compartimento
que está em seu pensamento!
Me alimenta...quero de beijos viver
e de desejos morrer!
Mas ao abrir
E ver o que tem dentro,
Faça com muito cuidado,
Não quero ser vaso quebrado,
Não deixe nada me ferir!
”Cuidado, frágil”, muito frágil,
é o que vem escrito na embalagem
pacote pronto para viagem
O que tem dentro é....AMOR!

Dina Isserlin

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

resíduo


reação de oxi-redução

irreversível

tu és pó e ao pó retornarás

poeira de ferro

cacos de vidro

restos de prata

escondido

um retrato-reflexo de homem


Marcos Ferraz

portrait dans le miroir des tes yeux



uma mulher
decidida e entregue
nos braços de um homem
nua de corpo e alma:
retalhos de sonho e verdade
cacos de pensamentos e vontades
sobras de medos e perdas
trechos de poemas e músicas
asas de anjo e uma chama ardente
lábios de mel e olhos profanos
cintura de menina, quadris de vulcão
cabelos de arco-íris e seios de algodão
dentes de pedra e boca de veludo
pele de pêssego e alma selvagem
censuras vetadas e desejos permitidos
fantasias reveladas e palavras libertadas
corpo matéria etérea
borboleta, camaleoa
flor raiz espinho
papoulas e chanson française
amazona num cavalo branco
walkinginthedarkside
of the light

uma mulher-narciso, refletida no espelho dos seus olhos

Madame Sylvie

Aceita meu Jogo?





Só entre nós dois
sem antes ou depois
apenas presente
um jogo aberto
sem cartas marcadas
ou blefes
um jogo encantado
sem perdas
ou recompensas
apenas um pretenso jogo
com lances
discretos
e atrevidos
assim fica sempre
mal resolvido
mas por outro lado
dura horas e horas
noites e noites
estrelas afora
madrugadas
impregnadas de sonhos!
você aceita o meu jogo
só nos dois?

***

Hummmm...
acho que sim
aceito seu jogo mas...
só se for
com lances
nada discretos
só atrevidos
e mal resolvidos
bagunçados
embaixo do lençol
e que dure horas
e horas a fio
sem pressa de acabar...

Carlos Gutierrez
&
Rita Encinas

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Coisas de Amigas II

Queridos, não resisti... estava muito preocupada com minha amiga que tinha sumido e fiquei sem saber o que aconteceu. Estava esperando por notícias quando...



Dina
Oi loura
Rita
O que houve, mulher?
dina
bateram em mim ontem a noite
dina
acabaram com o carro
Rita
eita porra
Rita
ah, no carro
dina
machuquei a cabeça e a perna
Rita
pensei que vc tivesse apanhado na rua
dina
mas estou bem
dina :
só dolorida e roxa
Rita
putz já era lesada, agora fodeu
dina
posso rir não loura
dina
dói tudo
Rita
vc estava sozinha?
dina :
estava
dina
estava indo encontrar amigos no cinema
Rita
e o cara não te socorreu?
Dina
socorreu
Rita diz:
e como era o cara?
dina
vieram os para médicos e me levaram para o hospital
dina
tirei chapas de tudo
dina
era um médico residente que estava virado do plantão
dina
não viu o sinal fechar pra ele
dina
a merda é que minha pressão com o susto
Rita
ah, foi um médico que bateu em você, que coisa boa!
dina
foi a 19 por 13
Rita
pelo menos era bonitão?
dina
ahahaha
dina
não sei
Rita
ficaram juntos no hospital?
Rita
lado a lado, assim
dina
ele foi dentro da ambulância e ligou para os meninos
Rita
bom pelo menos pra ele que tinha virado a noite foi bom, dormiu
dina que foram pra lá
dina
saí do hospital as quatro
Rita
ai, e os meninos foram?
Rita
os dois?
dina
foram e ficaram lá até eu terminar os exames
Rita
ai que tudo
dina
depois me trouxeram pra casa, os dois
dina
q susto loura
dina
to tremendo até agora
Rita
dois gostosos armários nem precisou caminhar até o carro, te levaram no colo
dina
acho q não dirijo mais
dina
ahahah
Rita
que nada
Rita
passa logo
Rita
cortou a cabeça?
dina
dirijo mais não
Rita
levou pontos?
dina
não...só está um grande hematoma na testa
dina
to com gelo direto de 20 em 20 minutos
Rita
ai, na testa? que lugar horrível
Rita diz:
e a perna?
dina
bati com ela no volante
dina
a perna cortou
Rita
bateu no volante com a cabeça ou com a perna?
dina
com a cabeça
Rita
ah, tá menos mal, imaginei que estivesse em pose erótica no carro
dina
ahahah
Rita
vai saber, né?
Rita
quantos pontinho foram na perna?
dina
tava sozinha loura
dina
6 pontos
Rita
6, pelo menos é número bom
Rita
mas poderia ser sete, seria melhor
dina
ai de mim
Rita
tá agora a mamãe vai falar sério.
dina
oi
Rita
o que a senhora está fazendo que não está deitada?
dina
estava até agora
dina
vou me deitar de novo
Rita
volta pra cama já!
Rita
a perna pode inchar
dina
queria só te falar
dina
to indo
Rita diz:
ai, que fofa.te amo
dina
beijos loura
dina
te amo
Rita
queria tanto estar aí contigo agora
Rita
cuidar de você
dina
to precisando de colo
Rita
oooooo meu bebê
dina
assim choro loura
Rita
agarra um travesseiro e faz de conta que é meu colo
dina
pensei que ía morrer
Rita
morre não linda, só se for de amor
Rita
não é o caso, só se fosse pelo médico barbeiro
dina
quero não
dina
ele hj já ligou pra saber de mim
Rita
ai que fofoooooooooooooo
dina
filho da puta, isso sim
Rita diz:
Por quê não pediu pra ele ir até aí te examinar?
dina
fudeu comigo e com meu carro
dina
quero não
Rita
ai, que horror
Rita
pelo menos vai pagar a conta?
dina
vamos ver
dina
deixei isso por conta do thierry
Rita
tá bom querida, vai descansar, nos falamos mais tarde
Rita
um beijo na cabecinha e outro na perninha, pra sarar logo
dina enviou

Rita
te amo!
Dina
Tb te amo
Fica bem, beijos
Dina
Beijos

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Amores e Cores


A vida é uma grande aquarela
Cheinha de lindas cores
Cada uma com sua história
Representando todos os amores
A mais bela, talvez seja a amarela
Como o Sol iluminando o dia
É o amor trazendo alegria
Mas tem o azul...com suas tonalidades
Falam do amor e suas vaidades
O vermelho...ah o vermelho
a paixão que transborda
E saí do coração, voa sozinha
Sem medo de não ter companhia
Tem vezes que...junta-se ao amarelo, laranja
Cores que iluminam e dançam
Fazem corar até os distraídos
Trazem a alegria do amor perfeito
E chegam meio que sem jeito
Tomando conta do lugar
Com o lilás indo-se ao longe
Ah! esse então...é a cor da transformação
Bagunça, troca tudo de lugar
Mas deixa sempre no ar
Um futuro resplandescente
Que vai chegar...finalmente
Na paz do azul para sonhar...
Mas quando mergulha no verde do teu olhar
Perde o rumo e não sabe voltar...
Precisa de um abraço roxo de saudades
Daqueles que ficaram pelo caminho
Que não sabem o que perderam
E nem vão saber um dia...
Que pena, e nessa aquarela me deixo levitar
Ora sou azul...ora vermelha
Passeio pelo amarelo
E sempre termino no lilás
Sou uma pintura em paisagens serenas
Porque quero tudo transformar...
Me vestir de azul pra encantar as flores
E vermelho pra esperar por novos amores
Voar como beija flores
Experimentar todos os sabores
Que deixei de provar
Por fim me visto de verde para perder-te
Mas que perder-te me faça encontrar
A paz que só o branco pode dar
Que é a mistura de todas as cores
Para poder recomeçar!

Dina Isserlin
&
Rita Encinas